Discovery aterrissa na Califórnia após missão na ISS - Mundo - iG" /

Discovery aterrissa na Califórnia após missão na ISS

WASHINGTON - O ônibus espacial Discovery terminou nesta sexta-feira uma bem-sucedida missão de abastecimento e serviço na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), com uma impecável aterrissagem na pista da Base Aérea americana de Edwards, na Califórnia.

EFE |

Reuters
Ônibus espacial Discovery pousa na base Edwards, na Califórnia


A nave tocou a pista às 00h53 locais, de sábado (21h53 de sexta, no horário de Brasília) depois que o mau tempo obrigou dois cancelamentos de sua aterrissagem no Centro Espacial Kennedy, na Flórida.

"Em casa. Felicitações após uma nova bem-sucedida missão", disse o controle da missão no Centro Espacial Johnson, da Nasa (agência espacial americana), em Houston, no estado americano do Texas. A aterrissagem aconteceu sob um céu aberto, que contrastou com o tempo fechado e que indicava chuva no Cabo Canaveral, na Flórida.

A missão STS-128 do "Discovery", que deveria durar 13 dias, se prolongou por mais um na quinta-feira, depois que as autoridades da Nasa cancelaram duas oportunidades de pouso, diante da ameaça de tempestades na zona do Cabo Canaveral.

As mesmas condições meteorológicas adversas obrigaram a Nasa cancelar o lançamento do ônibus espacial por um dia, seguido de outro, por um problema técnico.

O pouso na Base Aérea de Edwards seria um recurso de última instância para as autoridades da Nasa, já que o ônibus espacial terá que ser levado da Califórnia à Flórida, em uma operação que terá um custo de US$ 1,7 milhão.

A missão STS-128 teve o objetivo principal de extrair e substituir um tanque de amoníaco na viga central da ISS, que viaja em uma órbita a 385 quilômetros da Terra.

Esse tanque, que na Terra pesa em torno de 800 quilos, é o núcleo central do sistema de esfriamento do complexo e foi, até agora, o objeto de maior volume movido no ambiente sem gravidade pelos astronautas.

Essa tarefa foi liderada pelo astronauta mexicano americano Johnny Olivas, que participou das três etapas das da missão, acompanhado por Nicole Stott em uma ocasião, e pelo sueco Christer Fuglesang, da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês), nas outras duas.

Durante essas três etapas, Olivas, Nicole e Stott também analisaram o processamento no espaço de materiais como vidro, metais e cerâmica, incluindo a solidificação de cristais fora da influência da gravidade da Terra.

Além disso, recuperaram um experimento científico europeu instalado na parte exterior do laboratório "Columbus", da ESA, que também voltou à Terra com o "Discovery".

Também substituíram um dispositivo para determinar a posição da ISS em comparação com a Terra.

Nicole e Olivas fizeram, além disso, os preparativos para a chegada do módulo "Tranquility" ao complexo "Alfa", que será instalado na estação depois da chegada da missão STS-130, em fevereiro do ano que vem.

O "Discovery" levou mantimentos e equipamentos, além de um aparelho para os astronautas praticarem exercícios físicos durante a permanência no espaço.

Além disso, os astronautas transferiram uma geladeira até a estação "Alfa", que ajudará a preservar mostras biológicas, incluindo resíduos microbianos, plantas e urina, para sua análise na Terra.

A missão incluiu um teste para determinar o nível de vibração experimentado pelos astronautas durante o lançamento.

A informação será utilizada no desenho de novos assentos nas futuras naves espaciais da Nasa.

Leia mais sobre Discovery

    Leia tudo sobre: discoveryeuaflóridanasa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG