Quirguistão oficializa fim de última base dos EUA na Ásia Central

Moscou, 20 fev (EFE).- O presidente do Quirguistão, Kurmanbek Bakiyev, promulgou hoje a lei que prevê o fechamento da base aérea americana de Manas, a última que os Estados Unidos contam na Ásia Central, região limítrofe com o Afeganistão.

EFE |

"Bakiyev sancionou a lei aprovada na quinta-feira pelo Parlamento, na qual se anuncia o fim do acordo intergovernamental com os EUA", informou a Presidência em comunicado.

De acordo com a nota oficial, a lei entrará em vigor no dia seguinte à promulgação, ou seja, amanhã.

Segundo a prática internacional, quando um acordo é denunciado - quando se anuncia o término de um pacto - a Chancelaria do país em envolvido tem vários dias para informar à outra parte sobre a decisão.

A partir desse momento, EUA e outros países com tropas em Manas, como Espanha e França, terão 180 dias para deixar a base.

O Parlamento quirguiz havia aprovado na quinta-feira, por maioria arrasadora, a lei anunciada em princípios de fevereiro pelo presidente do país, em Moscou, depois de se reunir com o chefe de Estado russo, Dmitri Medvedev.

O anúncio de Bakiyev coincidiu com uma doação de Moscou ao Quirguistão de um crédito de US$ 2 bilhões e o perdão de parte da dívida do país.

O secretário de Defesa americano, Robert Gates, assegurou ontem que não perdia a esperança de seguir utilizando a base de Manas, enquanto criticou as tentativas russas de pôr fim à presença americano na zona.

O ex-presidente do Quirguistão Askar Akáiev cedeu às tropas americanas a base de Manas em 4 de dezembro de 2001, como ponte para a operação antiterrorista americana no Afeganistão.

A base acolhe mil soldados americanos, além de vários aviões de transporte militar, vitais para a provisão das tropas desdobradas no Afeganistão. EFE io/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG