Quinze rebeldes, um soldado britânico e dois civis morrem no Afeganistão

Quinze rebeldes talibãs e um soldado britânico morreram nas últimas horas em combates no Afeganistão, onde as forças internacionais mataram por erro dois civis.

AFP |

Combates entre talibãs e soldados afegãos foram travados no distrito de Nad Ali, província de Helmand, um reduto dos rebeldes islamitas no sul do país, informou o general Moheedin Ghori, chefe militar dessa zona. Nesses combates, morreram nove insurgentes.

No sudoeste, comandos do exército afegão, apoiados por militares americanos, mataram outros cinco rebeldes na província de Farah. Um líder dos rebeldes talibãs também morreu num ataque aéreo americano na província vizinha de Herat.

Soldados da Força de Assistência para a Segurança (ISAF) da Otan mataram dois civis afegãos na província de Kandahar, reduto dos talibãs no sul do país e um soldado britânico morreu ao ser atingido num tiroteio.

Segundo relatório da Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA), o ano de 2008 registrou o maior número de mortos civis afegãos em atos de violência desde a queda do regime talibã no final de 2001, com uma alta de 40% na comparação com 2007.

O documento mostra que os rebeldes são resposáveis por 55% destas vítimas civis, enquanto as forcas pró-governamentais causaram a morte de 39%, principalmente nos bombardeios das forças internacionais.

"A UNAMA registrou em 2008 um total de 2.118 civis mortos. A alta na quantidade de vítimas, de quase 40% em relação aos 1.523 civis mortos registrados em 2007, é motivo de grande preocupação para a ONU", afirma o documento.

O relatório mostra que 2008 foi o pior ano para os civis desde a expulsão do poder em Cabul dos talibãs, no fim de 2001, por uma coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

thm/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG