Pelo menos sete pessoas morreram na explosão de dois mísseis, supostamente americanos, em uma casa no noroeste do Paquistão, levando para 15 o número total de vítimas de tiros de mísseis nesta sexta-feira, anunciaram responsáveis paquistaneses.

O último disparo de mísseis deixou "pelo menos sete mortos e dezenas de feridos", e "quase todas as vítimas eram estrangeiros", disseram estes responsáveis, que costumam utilizar o termo "estrangeiros" para se referir a membros da Al-Qaeda.

"Dois mísseis, provavelmente disparados por um avião sem piloto americano, atingiram uma casa em Wana", declarou à AFP um alto funcionário dos serviços de segurança.

Wana é a maior cidade do Sul Waziristão, um distrito das zonas tribais do noroeste do Paquistão conhecido por ser um reduto dos talibãs e dos fundamentalistas da Al-Qaeda.

Esta foi a segunda salva de mísseis disparada nesta sexta-feira contra alvos islamitas nesta região paquistanesa, na fronteira com o Afeganistão.

Mais cedo, no distrito de Norte Waziristão, "três mísseis atirados por aviões sem pilotos" caíram sobre uma casa da periferia de Mir Ali, ourtro feudo da Al-Qaeda, disse à AFP um oficial das forças de segurança paquistanesas.

"Um reduto de combatentes islâmicos foi destruído, e pelo menos cinco combatentes estrangeiros e três locais morreram", informou outro responsável, que não quis ser identificado.

Ambos os responsáveis afirmaram que os mísseis eram americanos.

"A casa atingida parecia uma fortaleza", destacou uma das fontes.

O Exército dos Estados Unidos e a CIA, que atuam no Afeganistão vizinho, são os únicos a possuir aviões sem pilotos na região.

str/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.