Quinze mexicanos morrem em conflito de traficantes perto dos EUA

TIJUANA (Reuters) - Confrontos perto da fronteira com os Estados Unidos deixaram 15 mexicanos mortos, todos supostamente de um mesmo cartel de traficantes de drogas, no sábado, em um dos piores conflitos na guerra do tráfico do México, que já dura três anos. Oito pessoas ficaram feridas. Facções rivais do cartel Arellano Félix em Tijuana, na fronteira com a Califórnia, enfrentaram-se com rifles e metralhadoras nas primeiras horas da manhã, informou a polícia.

Reuters |

Os corpos ficaram jogados em meio a poças de sangue em uma estrada ao leste da cidade, cercados por centenas de cartuchos de munição. Os rostos de muitas das vítimas estavam desfigurados.

'Pelo jeito como ocorreu e com as armas usadas, acreditamos que os homens sejam do mesmo cartel, a gangue Arellano Félix', informou um policial em Tijuana e que pediu para não ser identificado.

Dois homens foram presos, e outros sobreviventes escaparam, acrescentou o policial.

A gangue Arellano Félix é há tempos a que comanda o tráfico de drogas em Tijuana, mandando entorpecentes para a Califórnia.

Recentemente, o grupo tem sido atacado por uma facção rival do Estado de Sinaloa, liderada pelo homem mais procurado do México, Joaquin 'Shorty' Guzman.

Cerca de 190 pessoas já foram mortas em Tijuana neste ano, enquanto os militares intervêm para tentar pôr fim à violência.

O presidente Felipe Calderón tem enfrentado dificuldades na guerra contra os cartéis de droga desde que assumiu a Presidência, em dezembro de 2006. Ele já enviou cerca de 25 mil soldados e a polícia federal para combater os traficantes.

No ano passado, ocorreram mais de 2.500 mortes relacionadas a drogas no país e cerca de outras 900 este ano.

(Reportagem de Lizbeth Diaz)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG