Quênia confirma sequestro de barco italiano na costa somali

Nairóbi, 11 abr (EFE).- Um rebocador de bandeira italiana e de propriedade de uma companhia americana, com 16 tripulantes a bordo, foi sequestrado hoje por piratas no golfo de Áden, confirmou à Agência Efe Andrew Mwangura, diretor do Programa de Assistência Marítima (PAM) do Quênia.

EFE |

Mwangura disse que desconhecia a nacionalidade dos tripulantes e não pôde confirmar a dos piratas, embora o mais provável seja que se trate de somalis, pois são eles que fazem a maioria das ações de pirataria na região.

A embarcação é operada por uma companhia dos Emirados Árabes Unidos, segundo Mwangura, cuja organização faz um acompanhamento e ajuda à navegação no litoral da África oriental.

Fontes da Chancelaria italiana informaram em Roma que "estão verificando" as notícias do sequestro, porém sem dar mais detalhes.

Segundo a imprensa da Itália, os 16 tripulantes do navio, dos quais dez são de nacionalidade italiana, não levavam armas e se encontram bem.

A imprensa local diz que o sequestro também foi confirmado pelo tenente Sergio Carvalho, um marinheiro de um navio de guerra português que se encontra na região. Segundo ele, o rebocador teve tempo de emitir um SOS, mas a comunicação foi interrompida.

O navio português, de acordo com as mesmas fontes, se encontrava muito longe do rebocador para prestar auxílio. EFE pa/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG