Queda de avião no Quirguistão faz pelo menos 70 mortos

Por Olga Dzyubenko BISHKEK (Reuters) - Cerca de 70 pessoas morreram neste domingo quando um avião de passageiros de uma companhia aérea do Quirguistão caiu nas imediações de Bishkek, capital do país. Entre as vítimas está um grupo de adolescentes de uma equipe local de basquete. O Quirguistão é uma ex-república soviética localizada na Ásia Central.

Reuters |

O avião era um Boeing 737-200 fretado por uma companhia iraniana, que seguia para Teerã, a capital do Irã, mas espatifou-se logo depois de decolar, disse uma porta-voz do aeroporto de Manas, situado a 30 km de Bishkek.

'Ele decolou, o piloto reportou um problema técnico e tentou retornar ao aeroporto', afirmou a porta-voz.

O ministro de Emergências, Kamchibek Tashiyev, disse que estavam a bordo 90 pessoas, das quais 25 sobreviveram. Mas o primeiro-ministro Igor Chudinov declarou a repórteres, depois de uma reunião emergencial em Manas, que o número de sobreviventes é menor.

'De acordo com informação preliminar, 20 das 90 pessoas a bordo sobreviveram', disse Chudinov.

Autoridades disseram que vão divulgar uma lista completa de mortos e sobreviventes logo cedo na segunda-feira. Uma porta-voz do Ministério da Saúde afirmou que 18 pessoas foram levadas a hospitais de Bishkek, mas ela não disse se havia mais sobreviventes.

'O piloto também sobreviveu mas é difícil conversar com ele agora', disse Chudinov, que não explicou se ele estava ferido e hospitalizado ou em estado de choque no aeroporto.

Segundo as autoridades, estavam a bordo do Boeing 83 passageiros e 7 tripulantes. Chudinov disse que 51 dos passageiros são da China, Turquia, Irã e Canadá, mas ele não deu mais detalhes.

Um funcionário do governo disse aos repórteres que estava a bordo um grupo de 17 adolescentes de uma equipe de basquete de uma escola local. Sete deles sobreviveram e estão hospitalizados, afirmou.

O local da queda, próximo à pista do aeroporto de Manas, foi isolado pela polícia, mas empregados do aeroporto que viram os destroços disseram que toda a fuselagem foi destruída por fogo e apenas a parte traseira permanecia intacta.

O ministro dos Transportes, Nurlan Sulaimanov, disse que o aparelho foi construído em 1979, estava em boas condições e havia sido inspecionado apenas dois meses atrás. Chudinov afirmou que informações iniciais indicam que o avião sofreu uma súbita perda de pressão, levando o piloto a requisitar um pouso de emergência.

Inicialmente, agências de notícias russas e autoridades disseram que 123 pessoas estavam a bordo, mas depois, o número foi corrigido para 90. Um correspondente da Reuters viu pelo menos duas ambulâncias que iam do aeroporto para Bishkek.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG