Queda de avião em área residencial de Nova York deixa 50 mortos

As equipes de resgate encontraram nesta sexta-feira as caixas pretas em meio aos destroços ainda fumegantes do avião que caiu na noite anterior sobre uma casa no estado de Nova York, causando 50 mortos, num dos mais mortíferos acidentes da história recente dos Estados Unidos.

AFP |

"Elas foram achadas e estão sendo trazidas para análises", afirmou o porta-voz da Agência Nacional de Segurança nos Transportes (NTSB), Ted Lopatkiewicz, acrescentando não pode dizer com exatidão o tempo que levará para serem estudadas. "Isso dependerá da condição em que elas se encontram", afirmou.

Segundo o diretor da NTSB, Steve Chealander, as investigações do desastre ainda demorarão um tempo.

De acordo com as primeiras informações, havia 48 pessoas a bordo e a 49a. vítima da tragédia estaria em terra, cifra que foi posteriormente revisada.

"Todas as pessoas a bordo morreram. As primeiras informações indicavam que o vôo transportava 44 passageiros e 4 membros da tripulação. Havia também a bordo um membro da tripulação da Colgan Airlines, que não estava em serviço, elevando o número de pessoas a bordo para 49", explicou a Pinnacle Air, matriz da Colgan Air, em um comunicado.

O avião, um Bombardier Dash 8 Q-400 da Colgan Air que operava para a Continental Airlines, decolou de Newark (Nova Jersey) e caiu às 22H20 locais (1H20 de Brasília), cinco minutos antes de pousar no aeroporto de Buffalo, na cidade de Clarence.

O canal de televisão CNN exibiu imagens dos destroços do avião, chamas e fumaça intensa no centro de uma zona residencial, onde mais de 10 casas foram evacuadas.

O presidente Barack Obama e sua esposa Michelle disseram estar muito tristes com a tragédia. "Nossos pensamentos estão com as famílias e os amigos dos falecidos", declarou Obama, que também agradeceu aos corajosos socorristas que chegaram primeiro ao local.

Uma testemunha afirmou à emissora que o incêndio provocado pela queda do avião se limitou a apenas uma residência.

"Foi como um pequeno terremoto, com um barulho muito forte", afirmou Keith Burtis, morador da região.

"Chama a atenção que só tenha atingido uma casa, por ter sido tão devastador. Poderia ter facilmente arrasado con todo o bairro", comentou David Bissonette, coordenador das operações de emergência.

Uma das vítimas no acidente era uma viúva cujo marido morreu nos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, segundo o jornal local Buffalo News.

O jornal informou que Beverly Eckert viajava para Buffalo para comemorar o que seria o aniversário de 58 anos de seu marido, Sean Rooney.

"Sabemos que ela estava no avião", informou ao jornal sua irmã Sue Bourque. "Agora ela está com ele", acrescentou.

Eckert deveria assistir à apresentação de uma formatura escolar que homenagearia seu marido no colégio em que ambos se conheceram.

Ela integrou o denominado 'Vozes do 11 de setembro', que exigiram uma melhor investigação dos ataques e incentivaram a construção de um memorial.

As autoridades investigam se o avião tinha dificuldades antes da queda, mas uma fonte afirmou que a aeronave "simplesmente desapareceu da tela do radar".

De acordo com o site da empresa canadense Bombardier, o Dash 8 Q-400 é um avião bimotor com turboélice. A capacidade é de quatro tripulantes e de 68 a 78 passageiros.

A construtora anunciou que enviou uma equipe de especialistas ao local da tragédia e apresentou condolências aos familiares das vítimas em um comunicado.

A empresa aeronáutica despachou para Buffalo uma equipe de técnicos para dar suporte à Junta Nacional de Segurança no Transporte (NTSB) durante a investigação.

A Bombardier se negou a fazer qualquer comentário sobre uma causa potencial do acidente enquanto os investigadores não apresentarem informações ou constatações sobre a tragédia.

No momento do acidente havia neve, neblina e água congelada na região, condições meteorológicas comuns na região nesta época do ano.

Um canal de tv local, o WGRZ, difundiu uma conversa dos controladores aéreos tentando entrar em contato com o aparelho quando este estava se aproximando. Um dos controladores pede ao outro avião que busque o aparelho sinistrado visualmente depois de seu desaparimento das telas do radar.

mac-ltl/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG