Queda de 0,3% confirma retração da economia nos EUA

A economia dos Estados Unidos encolheu a uma taxa anual de 0,3% entre julho e setembro, de acordo com dados do Departamento de Comércio americano. Os números referentes ao PIB (Produto Interno Bruto) foram melhores do que se esperava, apesar de terem confirmado a contração mais acentuada da economia americana desde 2001.

BBC Brasil |

A redução de 0,3% é registrada após um crescimento de 2,8% no trimestre anterior.

Os gastos do consumidor, que representam dois terços da economia americana, encolheram 3,1%, a primeira contração desde 1991.

Recessão
Os gastos com produtos não-duráveis, como comida e papel, caíram no ritmo mais acentuado desde 1950.

A contração significa que a economia dos Estados Unidos está a meio caminho da definição padrão de recessão - dois trimestres consecutivos de crescimento negativo.

Mas a definição oficial nos Estados Unidos é diferente, o que significa que a economia americana não está oficialmente em recessão até que o departamento nacional de pesquisa econômica decida que esse é o caso.

De qualquer forma, o Federal Reserve (Fed, o Banco Central americano) tem demonstrado uma clara preocupação com a perspectiva de uma recessão e reduziu a taxa de juros de 1,5% para 1% na quarta-feira.

"Os gastos do consumidor representam cerca de 70% do PIB, e isso parece ser o nível mais baixo em duas décadas, o que significa que, no quarto trimestre, entraremos em recessão", disse Bill Walsh, presidente da empresa de investimentos Hennion and Walsh, de Nova Jersey.

Os dados do PIB foram acompanhados pela divulgação, pelo Departamento do Trabalho, do número de pedidos por seguro-desemprego na semana passada.

O país registrou 479 mil pedidos na semana que terminou no dia 25 de outubro, o mesmo total da semana anterior, mas ainda assim um número alto, que sugere que os problemas na economia americana estão chegando ao mercado de trabalho.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG