Quatro reféns das Farc são libertados na Colômbia

Quatro homens que eram mantidos reféns pelas Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) desde 2007 foram libertados pela organização neste domingo na selva colombiana. Trata-se da primeira libertação de reféns do grupo rebelde em quase um ano.

BBC Brasil |

Os policiais Juan Fernando Galicia, José Walter Lozano Guarnizo e Carlos José Duarte Rojas e o soldado William Giovanni Domínguez estão agora em poder da missão humanitária que realizou o resgate.

Segundo meios locais, eles estariam sendo levados para Bogotá.

O resgate desse domingo faz parte de uma operação de três fases para libertar um total de seis reféns das Farc.

Está prevista para a segunda-feira a libertação de Alan Jara, ex-governador do departamento (Estado) de Meta, de 51 anos, seqüestrado em 15 de julho de 2001. Na quarta-feira deve ser a vez de Sigifredo López, de 45 anos, o único sobrevivente de um grupo de 12 deputados seqüestrados em 2002.

Terceira libertação
A missão humanitária partiu às 8h15 (11h15 de Brasília) deste domingo da cidade de Florença, no sul da Colômbia, em um helicóptero cedido pelo Brasil para a operação de resgate.

A aeronave levava a bordo a senadora colombiana Piedad Córdoba - que já havia auxiliado na libertação de outros reféns das Farc -, três delegados da Cruz Vermelha Internacional e três testemunhas, entre elas dois jornalistas.

Esta foi a terceira libertação unilateral de reféns das Farc desde janeiro de 2008, quando foram libertadas a ex-candidata à vice-presidência do país Clara Rojas e a ex-congressista Consuelo Perdomo.

Logo depois, em fevereiro, a guerrilha entregou a outros quatro ex-congressistas que integravam o grupo de reféns. Todas essas operações foram coordenadas pelo governo da Venezuela e por Piedad Córdoba.

Em julho, a mais importante refém das Farc, a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, foi colocada em liberdade, junto com outros seqüestrados, após uma operação do governo colombiano.

Também em 2008, foram anunciadas as mortes de morte de importantes líderes da Cúpula das Farc - Raúl Reyes, Ivan Ríos e o fundador do grupo rebelde, Manuel Marulanda.

Ao longo do ano passado, vários guerrilheiros desertaram as Farc, convocando seus companheiros a abandonarem a luta armada, indicando que a organização estaria perdendo força.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG