Quatro palestinos morrem nos bombardeios maciços em Gaza

Jerusalém, 8 jan (EFE).- Pelo menos quatro palestinos morreram nas últimas horas na Faixa de Gaza em uma onda de bombardeios maciços israelenses sobre esse território, informaram fontes médicas e do Exército, ao entrar no 13º dia da ofensiva.

EFE |

O Exército israelense atacou desde ontem à noite mais de 60 alvos na Faixa de Gaza, entre eles as casas de dois dirigentes do braço armado do Hamas, as Brigadas de Ezedin al-Qassam, segundo o boletim de guerra diário divulgado aos meios de comunicação.

Trata-se de Yasser Natat, responsável pelo lançamento de foguetes a partid da área de Rafah (sul de Gaza), e de Mohammed Sanuar, comandante das Brigadas na zona de Khan Yunes, também no sul, cujo estado é desconhecido.

Entre os mortos desta manhã, há três milicianos da Jihad Islâmica, assim como uma quarta pessoa vítima de um dos bombardeios ao redor de Gaza antes do amanhecer, informou a imprensa israelense.

O Exército bombardeou nas últimas 12 horas uma mesquita "usada para armazenar armas e como ponto de encontro de operações terroristas", além de cerca de 15 túneis na fronteira entre Gaza e Egito, instalações da Polícia do Hamas, armazéns de armas e plataformas de lançamento de foguetes, entre outros alvos, segundo o comunicado.

Desde a noite de ontem, as milícias palestinas lançaram cerca de dez foguetes contra o sul de Israel, dois dos quais atingiram campos perto de Be'er Sheva, outros dois nos arredores de Ashkelon, três em Ashdod e outros três na região de Eshkol, sem causar vítimas.

O Gabinete Ministerial para Assuntos de Segurança Nacional de Israel aprovou ontem a continuação da operação militar na Faixa de Gaza, apesar das chamadas da comunidade internacional para um cessar-fogo.

O Exército israelense afirmou hoje que "continuará operando contra a infra-estrutura terrorista do Hamas na Faixa de Gaza, de acordo com os planos operacionais, para reduzir o lançamento de foguetes no sul de Israel".

A ofensiva, iniciada em 27 de dezembro, matou mais de 700 palestinos e deixou cerca de 3 mil feridos, enquanto nove israelenses morreram e dezenas ficaram feridos devido ao fogo das milícias palestinas neste período. EFE aca/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG