Os presidentes dos três países bálticos - Lituânia, Estônia, Letônia e a Polônia - pediram à União Européia e à Otan que se oponham à política imperialista que atribuem à Rússia, numa declaração comum publicada hoje.

"A UE e a Otan devem tomar a iniciativa, opondo-se à propagação da política imperialista e revisionista no leste da Europa", declararam os presidentes estoniano, Toomas Hendrik Ilves; letão, Valdis Zatlers; lituano, Valdas Adamkus e polonês, Lech Kaczynski, lembrando que eles dirigem "antigas nações cativas da Europa (pertenciam à extinta URSS) e são membros atuais da União Européia e da organização atlântica".

"A Federação russa ultrapassou 'a linha vermelha' na manutenção da paz e da estabilização na zona de conflito e na proteção dos cidadãos russos além de suas fronteiras", acrescentam os presidentes.

Consideram o conflito "um teste de credibilidade para a União Européia e a Otan (...).

bo/mr/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.