Quatro jovens neonazistas são condenados a prisão em Israel

Jerusalém, 10 abr (EFE).- Quatro dos oito membros de um grupo de jovens neonazistas desarticulado em Israel, em setembro do ano passado, foram condenados hoje a penas de prisão que vão de 15 meses a quatro anos e meio de prisão.

EFE |

Os condenados, um colono de 20 anos e três menores, foram acusados pelo Tribunal do Distrito de Tel Aviv pelos crimes de conspiração, assalto e incitação ao racismo, depois que seus advogados e a promotoria conseguiram chegar a um acordo, informam meios de imprensa locais.

Os outros quatro integrantes do grupo sofrem acusações penais mais sérias. Defesa e acusação também estão tentando um acordo fora dos tribunais, ainda sem sucesso.

A descoberta do grupo neonazista comoveu Israel por ser a primeira da história de um país ainda marcado pela lembrança do Holocausto de seis milhões de judeus.

Segundo a ata de acusação, seus integrantes - jovens imigrantes da ex-URSS - atacaram dezenas de pessoas e pintaram suásticas em sinagogas, o que levou vários deputados a pedir a reforma da Lei do Retorno, que garante a cidadania israelense aos judeus de todo o mundo que emigrem para o país.

Homossexuais, árabes, judeus e imigrantes foram o alvo das surras desses oito jovens com idades entre os 17 e os 21 anos, segundo os investigadores policiais.

A maioria de detidos confessou ter atacado várias pessoas, principalmente trabalhadores estrangeiros na zona da estação central de ônibus de Tel Aviv, e ter matado cruelmente centenas de gatos, segundo fontes policiais.

O grupo se propunha, além disso, a comemorar o aniversário do líder nazista Adolph Hitler no Museu do Holocausto (Yad Vashem) de Jerusalém, segundo fontes policiais. EFE ap/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG