Londres, 11 fev (EFE).- O cérebro dos jogadores responde praticamente com a mesma sensação de prazer quando ganha um prêmio e quando está prestes a conquistá-lo, afirma um estudo da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, divulgado hoje.

O estudo poderia ajudar a explicar os comportamentos compulsivos com relação ao jogo que derivam na ludopatia em muitos casos, explicou o diretor do trabalho, o professor Luke Clark, que explicou que os jogadores "frequentemente interpretam o quase ganhar como algo especial, o que os estimula a seguir jogando".

Para a pesquisa foram estudadas as reações cerebrais de 15 voluntários, que se submeteram a um exame de ressonância magnética funcional de imagens (FMRI) para avaliar as reações enquanto jogavam com um caça-níqueis em um computador.

Quando o jogo dava um prêmio de 50 pence (US$ 0,70), o scanner detectava uma reação na parte do cérebro que processa o prazer e o sentido de recompensa, da mesma forma que ocorre com o chocolate ou o álcool.

Isto era esperado pelos estudiosos, mas a surpresa foi constatar que os mesmos centros cerebrais se ativavam quando estavam perto de conseguir um prêmio, ou seja, quando, por exemplo, a máquina dava duas cerejas e uma laranja na linha vencedora.

"Nossas investigações mostram que o cérebro responde aos 'quase prêmios' como se tivesse recebido um prêmio, mesmo que o resultado seja tecnicamente o de ter perdido", afirmou Clark em declarações à revista "Neuron", que publicou o trabalho.

O diretor do estudo explicou que, "nos jogos nos quais é preciso uma certa habilidade, como tiro ao alvo, faz sentido que o cérebro reaja quando está perto do prêmio, mas em jogos de azar, como a roleta ou o caça-níqueis, estar a ponto de conseguir o prêmio não indica que você vá consegui-lo mais à frente".

Clark destacou que os voluntários ao estudo "não eram jogadores frequentes ou pessoas com problemas com o jogo", o que faz pensar que "se trata da resposta natural do cérebro", por isso não há uma predisposição especial dos indivíduos a desenvolver uma patologia derivada do jogo. EFE fpb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.