Quarteto para o Oriente Médio pede continuação do processo de paz

O Quarteto internacional para o Oriente Médio pediu neste domingo a israelenses e palestinos que dêem continuidade ao processo de paz apesar de a situação atual colocar em dúvida a possibilidade de assinatura de um acordo ainda este ano.

AFP |

Os representantes do Quarteto (Estados Unidos, Rússia, União Européia e ONU) "pediram à comunidade internacional que apóie a continuação dos esforços das partes dentro do processo de Annapolis", indicou o grupo internacional em um comunicado lido pelo secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, após reunião em Sharm el-Sheik (Egito).

O Quarteto pediu a israelenses e a palestinos que "respeitem os princípios assumidos nas negociações", acrescentou o comunicado comum, fazendo referência ao princípio de confidencialidade que as partes concordaram em adotar em suas negociações sobre a criação de um Estado palestino.

Na reunião foi decidido que a primavera (no Hemisfério Norte) de 2009 "seria uma data adequada para um encontro internacional em Moscou, para evitar um vazio nas negociações durante a transferências de poderes para a equipe do presidente eleito americano, Barack Obama, e as eleições legislativas israelenses de fevereiro de 2009.

Outra questão que entrava o processo de paz é a luta de poder entre os principais movimentos palestinos, Hamas e Fatah.

Foi proposto um diálogo de reconciliação patrocinado pelo Egito, previsto para segunda-feira no Cairo, mas este foi anulado a pedido do Hamas, que acusa o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, de ter detido centenas de seus membrosna Cisjordânia.

"O mais importante é que a nova administração dos Estados Unidos se encarregue desta questão desde o primeiro dia e que o faça sabendo que existem umas bases sobre as quais podemos construir", declarou o ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair, encarregado dos aspectos econômicos do processo de Annapolis iniciado em novembro de 2007 nos Estados Unidos.

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, comemorou o apoio do Quarteto à sua estratégia de negociações globais.

"Agora temos uma estratégia internacional para encontrar finalmente a solução para os dois Estados, que é o objetivo do presidente George W. Bush", declarou.

"A partir de agora o processo de Annapolis é a resposta da comunidade internacional e das partes para saber como vamos acabar com o conflito entre israelenses e palestinos", acrescentou.

sl/pop/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG