Qorei adverte sobre pedido de Estado binacional a Israel se não houver acordo

Ramala, 11 ago (EFE).- O chefe da delegação palestina para as negociações de paz com Israel, Ahmed Qorei, advertiu hoje que a ANP pedirá um Estado binacional entre o Rio Jordão e o Mediterrâneo se não se conseguir um acordo de paz.

EFE |

Ao acusar hoje Israel de "bombardear" a possibilidade de um acordo para a criação de um Estado palestino independente com Jerusalém como capital, Qorei disse que se Israel continuar se opondo às fronteiras de 1967 "o povo palestino exigirá um Estado com duas nações".

Por Estado binacional se entende um Estado no qual qualquer de suas minorias representa mais de 30% da população.

O negociador, que falou aos jornalistas na cidade de Ramala, capital da Autoridade Nacional palestina (ANP), explicou que "as negociações são sérias e difíceis" e que "não se alcançou acordo sobre nenhuma das questões do estatuto final" de paz.

As duas partes reiniciaram as negociações na conferência de Annapolis de novembro de 2007 com o objetivo de chegar a um acordo de paz antes que o presidente George W. Bush deixe a Casa Branca em janeiro próximo.

No entanto, este objetivo parece inalcançável desde que o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, anunciou sua intenção de renunciar em setembro, o que abrirá passagem para uma mudança de Governo.

Ao oeste do Rio Jordão, no território que até 1948 era o Mandato Britânico da Palestina, vivem atualmente cerca de 5,5 milhões de judeus e um número ligeiramente inferior de palestinos.

O argumento demográfico foi o que impulsionou Olmert a entrar no processo negociador, no temor de que se for criado um Estado palestino Israel perderá sua personalidade judaica.

Dentro das fronteiras reconhecidas de Israel já reside uma minoria palestina que sobe para 20% de seus 7 milhões de habitantes.

EFE fn-sar-elb/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG