Pyongyang quer retomar turismo no monte Kumgang e na cidade de Kaesong

Seul, 14 jan (EFE).- A Coreia do Norte propôs hoje à Coreia do Sul uma reunião bilateral ainda neste mês a fim de retomar o turismo ao monte norte-coreano de Kumgang, paralisado desde 2008, informou a agência oficial norte-coreana KCNA.

EFE |

"É muito lamentável que o turismo no monte Kumgang e (na cidade fronteiriça de) Kaesong esteja paralisado há um ano e seis meses", indicou o Comitê de Paz Coreia-Ásia Pacífico, organismo norte-coreano encarregado dos negócios com a Coreia do Sul, em comunicado dirigido ao Ministério da Unificação sul-coreano.

A Coreia do Norte propôs realizar contatos bilaterais de trabalho entre 26 e 27 de janeiro em Kumgang para retomar o turismo a esse monte, paralisado desde que em julho de 2008 uma turista sul-coreana morreu baleada por um soldado norte-coreano.

Pyongyang propôs também discutir a retomada do turismo à cidade de Kaesong, bloqueado em novembro de 2008 pela deterioração das relações entre ambos os países desde que o conservador Lee Myung-bak assumiu a Presidência sul-coreana em fevereiro daquele ano.

O porta-voz do Ministério da Unificação sul-coreano, Chun Hae-sung, confirmou a notícia adiantada pela "KCNA" e disse que o Governo estuda a proposta.

Ao mesmo tempo, a Coreia do Norte reiterou hoje a exigência de que os Estados Unidos retirem as tropas posicionadas na Coreia do Sul, depois de propor nesta segunda-feira um diálogo para substituir o armistício que encerrou a Guerra da Coreia (1950-1953).

"Sem a retirada das tropas americanas, o povo sul-coreano não tem autonomia garantida", comentou "Rodong Sinmun", o jornal do Partido dos Trabalhadores norte-coreano, citado também hoje pela agência "KCNA".

As duas Coreias permanecem tecnicamente em estado de guerra desde o conflito de 1950-1953, encerrado por um cessar-fogo em vez de um tratado de paz permanente.

Atualmente, 28,5 mil soldados americanos estão posicionados na Coreia do Sul como poder de dissuasão perante possíveis provocações do regime comunista.

Nesta segunda-feira, a Coreia do Norte propôs realizar uma reunião imediata para debater um tratado de paz em substituição ao armistício assinado por Coreia do Norte, China e EUA em representação da ONU, mas Seul e Washington rejeitaram a proposta.

EFE ce/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG