Pyongyang ameaça Seul com resposta militar e rejeita armistício de 1953

A Coreia do Norte ameaçou nesta quarta-feira a Coreia do Sul com uma resposta militar após a adesão Seul ao Programa de Segurança contra a Proliferação (PSI), além de ter anunciado que não está mais sujeita ao armistício de 1953 que encerrou a guerra da Coreia.

AFP |

Pyongyang também advertiu que não garante a segurança dos navios que passam por sua costa oeste, de acordo com um comunicado militar divulgado pela agência oficial KCNA.

Seul, que tinha um status de observador no PSI, anunciou na terça-feira a decisão de integrar plenamente o programa, depois que a Coreia do Norte realizou um novo teste nuclear e lançou vários mísseis de curto alcance.

"Qualquer ato hostil contra nossa República, em particular deter ou inspecionar nossos navios se traduzirá de imediato em uma forte resposta militar", adverte o Exército da Coreia da Norte no comunicado.

"Nosso Exército não está mais sujeito ao acordo de armistício, na medida em que os Estados Unidos fizeram os 'fantoches' entrar no el PSI", completa o texto divulgado pelo destacamento militar norte-coreano do povoado neutro de Panmunjon, no centro da zona desmilitarizada.

"Se Pyongyang já não se considera sujeita ao armistício de 1953, a península coreana voltará ao estado de guerra", adverte o Exército norte-coreano.

"Os que nos provocaram devem enfrentar uma sanção sem piedade e inimaginável", ameaçou Pyongyang.

"Os imperialistas e os traidores que cercam Lee Myung-bak (presidente sul-coreano) empurraram a península coreana para o estado de guerra".

As relações entre as duas Coreias, que sempre estiveram oficialmente em estado de guerra desde o conflito de 1950 a 1953, pioraram após a chegada ao poder em Seul, em fevereiro de 2008, de Lee Myung-bak, qualificado regularmente de "traidor" pelo regime norte-coreano.

Rompendo com a postura dos antecessores que buscaram uma conciliação com Pyongyang, Lee adota uma posição firme em relação ao Norte e condiciona a ajuda de seu país aos progressos verificáveis no process de fim do programa nuclear de Pyongyang.

A Coreia do Norte testou mais um míssil, o sexto em três dias, revelou nesta quarta-feira a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

Pyongyang lançou um míssil de curto alcance no Mar Amarelo, informou a Yonhap.

Na segunda-feira, a Coreia do Norte desafiou o mundo com um teste nuclear subterrâneo e o disparo de três mísseis, antes de lançar outros dois mísseis, na terça.

lim/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG