Putin será candidato à presidência da Rússia em 2012

Anúncio encerra meses de especulação sobre se o atual presidente Dmitri Medvedev tentaria a reeleição

iG São Paulo |

AP
Medvedev abraça Putin (de costas) durante congresso do partido Rússia Unida

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, aceitou ser candidato à presidência do país nas eleições de 2012, praticamente assegurando sua volta ao cargo que ocupou entre 2000 e 2008. O anúncio feito neste sábado encerra meses de especulação sobre quem seria o candidato do partido Rússia Unida: Putin ou o atual presidente russo, Dmitri Medvedev.

Durante um congresso do partido neste sábado, Medvedev disse que "seria correto" que os integrantes do Rússia Unida apoiassem a candidatura de Putin. O partido aprovou a proposta, assim como a proposta feita em seguida por Putin para que Medvedev assuma o cargo de primeiro-ministro.

Apesar do crescente descontentamento da população com o Rússia Unida, o partido exerce influência tão grande sob a política russa que a eleição de Putin e a passagem de Medvedev para o cargo de premiê são praticamente certas.

AP
Medvedev abraça Putin (de costas) durante evento que anunciou o último como próximo candidato à presidência (24/09)
Além de a oposição ser amplamente marginalizada, a popularidade pessoal de Putin é imensa entre russos que o veem como uma figura forte e necessária para um país atormentado por corrupção, insurgentes islâmicos e desigualdade social.

Mas a mão dura com a qual governou a Rússia fez com que Putin fosse criticado por países ocidentais que o viram como um retrocesso para a democracia.

Como uma mudança constitucional estendeu o mandato presidencial russo de quatro para seis anos, Putin tem a chance de ficar até 12 anos do poder caso vença a eleição de 2012 e busque a reeleição.

Ainda não está claro qual será o candidato da oposição na eleição presidencial, que ainda não tem data marcada. Em 4 de dezembro haverá uma eleição Parlamentar na qual o Rússia Unida tentará manter-se dominante. Hoje, o partido tem 312 das 450 cadeiras do Parlamento.

Putin deixou a presidência em 2008 por causa dos limites de mandato da Constituição, mas como premiê manteve-se em evidência e ofuscou Medvedev, escolhido por ele como sucessor.

Como presidente, Medvedev assumiu uma postura reformista, pedindo mudanças na Justiça e o fim da corrupção. Mas suas iniciativas produziram poucos resultados.

Com AP

    Leia tudo sobre: rússiaputinmedvedeveleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG