Putin se opõe a ataques e sanções ao Irã por questão nuclear

MOSCOU - O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, se opôs, nesta sexta-feira, a um ataque militar contra o Irã como punição a ambições nucleares e alegou que isso desencadearia uma explosão do terrorismo e um aumento da influência dos extremistas.

EFE |


AP
Premiê russo Vladimir Putin

"Seria muito perigoso e inaceitável. Duvido muito que esses tipos de ataques tenham obtido os resultados desejados", assegurou Putin, nesta sexta-feira, nos arredores de Moscou.

Ao mesmo tempo, Putin exigiu a Teerã que mostre moderação em relação a seu programa nuclear, que os Estados Unidos e outros países ocidentais consideram que tem fins militares.

"É uma região perigosa e o Irã deverá se comportar de maneira responsável, especialmente tendo em vista as preocupações de Israel", disse o premiê, citado por agências de notícias russas.

Putin, que também se opôs à imposição de sanções contra Teerã, chamou de "absolutamente inaceitáveis" as declarações iranianas sobre "a destruição do Estado de Israel".

Segundo a imprensa russa, a nova proposta nuclear apresentada na quinta-feira pelo Irã não foi bem recebida em Moscou, que a considera insuficiente.

No entanto, da mesma forma que no caso da crise nuclear norte-coreana, Moscou mantém a postura de se abster de recorrer a métodos de força.


Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irãputinrússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG