Putin propõe cooperação nuclear a Chávez

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, propôs nesta quinta-feira ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, cooperar nos setores nuclear, militar e tecnológico, ao recebê-lo em sua residência na periferia de Moscou, onde também defendeu um mundo multipolar.

AFP |

"Estamos dispostos a considerar a possibilidade de uma cooperação (com a Venezuela) no tema de utilização da energia atômica", declarou Putin, ressaltando que Moscou e Caracas têm "novas possibilidades de cooperação nos âmbitos da energia, altas tecnologias, construção de maquinário e petroquímica".

"Estou feliz de destacar que (o gigante gasífero russo) Gazprom prevê lançar, no final de outubro, a primeira sonda no Golfo da Venezuela", anunciou o chefe de Governo russo, lembrando que a cooperação energética entre ambos os países tem "também boas perspectivas no mercado de outros países".

Putin prometeu "pôr em marcha (...) todos os acordos de cooperação entre as Marinhas" dos dois países e afirmou que "está disposto a discutir sobre cooperação militar e técnica" bilateral.

O ex-presidente russo (2000-2008) assegurou que seu país "prestará mais atenção" na "América Latina (que) se tornou um elo importante na criação de um mundo multipolar".

"Vamos prestar mais atenção nesse vetor", prometeu Putin, que recebeu Chávez em Moscou várias vezes quando ainda era presidente.

"Hoje mais do nunca, tudo o que você (Putin) disse sobre o mundo multipolar é uma realidade. Não percamos tempo", respondeu Chávez.

Mais cedo, a Rússia concedeu um empréstimo de um bilhão de dólares à Venezuela para a compra de armamento russo, anunciou o Kremlin em nota divulgada antes do início da visita de Hugo Chávez ao país.

"A Rússia adotou a decisão de conceder à Venezuela um crédito de um bilhão de dólares para implementar programas na área da cooperação técnico-militar", afirmou o comunicado, utilizando o jargão diplomático para se referir à compra de armas.

O Kremlin indicou que, desde 2005, a Venezuela assinou 12 contratos de armas com a Rússia no valor total de 4,4 bilhões de dólares (3 bilhões de euros).

A Venezuela comprou aviões de caça, carros de combate e fuzis de assalto da Rússia e planeja adquirir sistemas antiaéreos, veículos blindados e aviões de combate, informou na semana passada o diretor da Russian Technologies, Serguei Shemezov, ligado ao ex-presidente e atual premier russo, Vladimir Putin.

Chávez agradeceu a seu "querido amigo" Putin por tê-lo convidado a seu país antes do início do inverno (boreal). A visita anterior de Chávez à Rússia foi no final de julho passado.

O presidente venezuelano chegou nesta quinta-feira à Rússia, etapa seguinte de sua viagem internacional, que o levará também para França e Portugal.

dt/cn/fp/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG