fim imediato da agressão contra a Ossétia do Sul - Mundo - iG" /

Putin pede fim imediato da agressão contra a Ossétia do Sul

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, pediu neste sábado às autoridades georgianas o fim imediato da agressão contra a Ossétia do Sul e das violações dos acordos anteriores de paz e cessar-fogo.

EFE |

Putin fez estas declarações na república russa da Ossétia do Norte, onde chegou vindo de Pequim, onde na sexta-feira assistiu à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos.

Segundo Putin, o propósito da Geórgia de entrar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) é "uma tentativa de envolver outros países e povos em suas sanguinárias aventuras".

"Acho que isso agora é óbvio, tanto na Geórgia e na Rússia quanto no resto do mundo", afirmou o primeiro-ministro russo, que ressaltou que "as ações das autoridades georgianas na Ossétia do Sul são, certamente, um crime, e antes de tudo um crime contra seu próprio povo".

Segundo Putin, que pouco menos de dez anos atrás iniciou a guerra contra a separatista Chechênia, a operação militar georgiana foi um duro golpe para a integridade territorial da Geórgia.

"É difícil imaginar como, depois do ocorrido e do que está ocorrendo, convencer a Ossétia do Sul a fazer parte do Estado georgiano", disse.

Ao mesmo tempo, "a agressão provocou várias vítimas entre a população civil, o que desembocou, de fato, em uma autêntica catástrofe humana".

O primeiro-ministro russo informou que 34.000 refugiados da Ossétia do Sul - dos quais um terço retornou depois a suas terras - cruzaram a fronteira e se inscreveram no serviço de imigração.

Para o alojamento dos refugiados, serão destinados 500 milhões de rublos (US$ 20 milhões), disse Putin, acrescentando que está sendo preparado um programa de ajuda para a reconstrução dos edifícios destruídos na Ossétia do Sul.

    Leia tudo sobre: putin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG