Putin e Bush mantêm espírito de diálogo durante Conselho Otan-Rússia

Bucareste, 4 abr (EFE).- Os presidentes de Rússia, Vladimir Putin, e Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, mantiveram um espírito de diálogo hoje, e concordaram que "a Guerra Fria terminou", durante o Conselho Otan-Rússia, realizado em Bucareste.

Segundo explicou o ministro de Assuntos Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos, os presidente de Rússia e Estados Unidos, que encerrarão seus mandatos nos próximos meses, chegaram a trocar elogios durante seus respectivos discursos.

No entanto, Putin fez questão de lembrar suas divergências em relação ao Tratado europeu sobre Forças Convencionais (CFE) e à ampliação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em direção aos territórios que pertenciam à antiga União Soviética.

Mas ao mesmo tempo, segundo o ministro espanhol, o presidente russo se dispôs a debater "de maneira construtiva" estes assuntos.

Putin também utilizou um "tom positivo", segundo Moratinos, quando expressou sua oposição à declaração de independência do Kosovo por suas conseqüências geopolíticas, mas ao mesmo tempo reconheceu que o processo está sendo uma prova de "moderação e contenção".

O líder russo não mencionou em seu discurso inicial outra de suas maiores preocupações, o escudo antimísseis americano que se pretende instalar em solo europeu, e ao qual a Otan deu ontem seu apoio.

Putin declarou perante os representantes dos 26 países-membros da Aliança que deixará seu cargo (que será ocupado pelo presidente eleito Dmitri Medvedev em maio) com o sentimento de que "a presença exterior da Rússia se consolidou", e que o país que encontrou em 2000 não é o que deixa "nem para os cidadãos russos nem para a estabilidade internacional".

Além disso, o presidente Putin considerou que o Conselho Otan-Rússia "é um instrumento válido para construir uma nova arquitetura de segurança européia".

Por sua vez, Bush também se mostrou "muito positivo e amistoso", e ressaltou que a reunião que ambos os países devem realizar em breve, no balneário russo de Sochi, "é uma boa ocasião a ser aproveitada pelos dois presidentes em fim de mandato".

Além disso, concordou com Putin ao afirmar que "a Guerra Fria terminou", e garantiu que a Rússia "já não é mais inimiga dos EUA".

Antes do Conselho, a Otan e a Rússia chegaram a um acordo que permitirá transportar material não militar destinado à missão no Afeganistão através de território russo. EFE met/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG