Putin diz que não tem pressa de enterrar Lênin

O líder da Revolução Comunista de 1917 morreu em 1924 e seu corpo embalsamado está em exposição pública desde então

Reuters |

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, disse nesta segunda-feira que não tem pressa de retirar o corpo de Lênin do mausoléu da Praça Vermelha, um assunto que desperta reações apaixonadas na Rússia, duas décadas depois do fim do regime soviético.

Lênin, líder da Revolução Comunista de 1917 que deu origem à União Soviética, morreu em 1924, e seu corpo embalsamado está em exposição pública desde então.

Desde a "perestroika" (abertura democrática), na década de 1980, começaram a surgir apelos para que o corpo seja enterrado, mas nenhum líder do país quis até hoje fazer isso, para não se indispor com milhões de simpatizantes do comunismo.

"Há um momento para tudo", disse Putin. "Chegará um dia em que o povo irá decidir como lidar com isso", afirmou o político num evento acadêmico em Sochi. "A história é uma dessas coisas... em que não é preciso ter pressa."

Putin, ex-agente da KGB (espionagem soviética), já irritou os liberais por reabilitar a melodia do hino soviético e por retomar a tradição de fazer desfiles com mísseis nucleares intercontinentais na Praça Vermelha.

Ele certa vez descreveu o colapso de 1991 da União Soviética como a maior catástrofe geopolítica do século 20.

    Leia tudo sobre: RUSSIAPUTINLENIN

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG