Putin descarta ligação entre atentado em aeroporto e Chechênia

Para primeiro-ministro russo, responsáveis por ataque com 40 mortos em Moscou não vêm do norte do Cáucaso

iG São Paulo |

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, disse na quarta-feira que os responsáveis pelo atentado suicida em um aeroporto de Moscou, na segunda-feira, provavelmente não são chechenos, embora analistas e a imprensa apontem para militantes do norte do Cáucaso.

Até o momento, ninguém assumiu a autoria da explosão que deixou 40 mortos e mais de 100 feridos, dentre eles estrangeiros. "Esse ato terrorista, segundo dados preliminares, não tem relação com a República Chechena," disse Putin a jornalistas.

Putin, que em 1999 iniciou uma guerra contra separatistas chechenos, recusou-se a esclarecer seus comentários, que devem levar a especulações de que os autores do atentado vinham de outra região do norte do Cáucaso, como Inguchétia e Daguestão, onde há insurgentes islâmicos. Para o Kremlin, as operações para sufocar a rebelião na Chechênia têm tido êxito.

Alexei Malashenko, especialista em Cáucaso no Centro Carnegie, em Moscou, disse que "sem dúvida" o atentado foi cometido por militantes islâmicos dessa região. "Não posso imaginar alguém do Oriente Médio ou de Kaliningrado (oeste da Rússia) fazendo isso," disse ele à Reuters.

O jornal Moskovsky Komsomolets informou na quarta-feira que o mesmo grupo responsável pelo atentado já havia tentado sem sucesso cometer um ataque devastador em Moscou no último dia de 2010. Uma mulher-bomba pretendia se explodir perto da praça Vermelha, mas a bomba foi detonada acidentalmente por seu telefone celular, matando-a em seu apartamento, disse o jornal.

Igrejas

Também nesta quarta-feira, o presidente Dmitri Medvedev e Putin foram, separadamente, a igrejas ortodoxas no dia de luto nacional na Rússia, enquanto as autoridades começaram a despachar os cadáveres das vítimas para seus lugares de origem, dentro e fora da Rússia.

O Kremlin disse que Medvedev demitiu um responsável regional dos transportes, Andrei Alexeyev, e determinou que o ministro do Interior, Rashid Nurgaliyev, instale sistemas de alerta mais eficientes em terminais de transporte. Além disso, foram dispensados outros três funcionários do ministério no aeroporto de Domodedovo, local do ataque de segunda-feira.

Arte/iG
Aeroporto de Domodedovo é o mais movimentado da Rússia
*Com Reuters

    Leia tudo sobre: moscourússiaataqueaeroportomedvedevsegurança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG