O primeiro-ministro russo Vladimir Putin causou surpresa no país ao criticar um quadro e dar conselhos ao seu pintor, um dos artistas mais famosos da Rússia. Ao visitar o artista Ilya Glazunov, de 79 anos, Putin parou na frente de uma tela grande que retratava um cavaleiro medieval.

"A espada é curta demais", teria dito o político. "Só serve para cortar salsicha."
Como não queria desagradar o convidado poderoso, Glazunov concordou imediatamente em corrigir o suposto erro.

'Orientação'
Esta prática não é exclusiva da Rússia - nação que já viveu sob um regime comunista. Na Coreia do Norte, atos como esses são chamados de "orientação in loco".

É quando um líder poderoso aparece de surpresa em determinados locais para dar conselhos a soldados, cientistas e até a artistas sobre como eles devem fazer o trabalho deles de maneira adequada.

Mas não são apenas os artistas que estão sujeitos ao aconselhamento de Putin.

Na semana passada, ele humilhou um dos homens mais ricos da Rússia em um programa ao vivo na TV. O político forçou o empresário bilionário Oleg Deripaska a reabrir uma fábrica que produzia alumínio depois de protestos de operários demitidos.

As câmeras registraram quando Putin atirou a sua caneta na mesa e ordenou Deripaska a assinar documentos.

Foi uma cena teatral que pegou muito bem para a opinião pública da Rússia, que ficou feliz ao ver Putin fazer o odiado oligarca a se curvar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.