Putin afirma que Rússia responderá à crescente presença Otan no Mar Negro

Moscou, 2 set (EFE).- O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, afirmou hoje que Moscou responderá à crescente presença de navios militares da Otan no Mar Negro.

EFE |

"A reação será tranqüila, sem histerias de nenhum tipo. Porém, certamente haverá resposta", declarou Putin em entrevista coletiva em Tashkent, capital do Uzbequistão, informaram as agências russas.

Putin criticou o fato de os navios da Aliança Atlântica oferecerem ajuda humanitária para a Geórgia e não à "vítima da agressão, ou seja, a Ossétia do Sul".

"Não se entende o que os navios americanos fazem no litoral georgiano. Entretanto, isto tem a ver com os gostos e as decisões dos colegas norte-americanos", afirmou.

O primeiro-ministro russo se perguntou: "Por que é necessário enviar ajuda humanitária em navios de guerra armados com os últimos sistemas de mísseis"? Já o chefe adjunto do Estado-Maior Geral das Forças Armadas da Rússia, Anatoli Nogovitsin, disse que são cinco os navios de países da Otan que estão neste momento em águas do Mar Negro, que banha os litorais russo e georgiano.

Trata-se de quatro fragatas, a espanhola Almirante Juan de Borbón, a americana Taylor, a polonesa Pulaski e a alemã Lübeck, além da embarcação de guarda-costeira USS Dallas.

Além disso, Nogovitsin acusou os EUA de transportarem para a Geórgia desde meados de agosto mais de 1.200 toneladas de diferentes cargas, entre elas armamento.

"As autoridades georgianas, com o apoio da Otan, em particular dos EUA, prosseguem seus planos de reconstrução das Forças Armadas e do sistema de comando militar", declarou.

O general russo afirmou que Tbilisi prepara "ações terroristas e de sabotagem nos territórios da Ossétia do Sul e da Abkházia", regiões separatistas georgianas cuja independência foi reconhecida há uma semana por Moscou.

"Segundo nossas informações, os militares georgianos planejam restabelecer sua presença em várias localidades da Ossétia do Sul.

Para isto, estão concentrando unidades especiais perto da fronteira da Ossétia do Sul", declarou.

A Otan afirma que a presença de suas fragatas no Mar Negro é rotineira e que a mesma "não tem relação com a crise da Geórgia".

No entanto, a Rússia enviou dez navios para a região, incluído a principal embarcação da Frota do Mar Negro, o cruzador Moskva, que atracou no píer da capital da Abkházia. EFE io/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG