Protetor solar para vegetais aumenta produtividade e lucro na Califórnia

FRESNO, Califórnia - Frutas e vegetais cultivadas com protetor solar? A prática já passa por testes na Austrália e Chile.

AP |

Assim como a pele das pessoas pode ser danificada pelo sol, os vegetais também se queimam. Por isso, os produtores cada vez mais adotam o uso de um protetor solar nas colheitas para prevenir bolhas, queimaduras e danos aos alimentos.

Manchas de sol em maçãs podem significar a diferença entre as que serão destinadas à produção de suco, a um preço inferior, e as que serão vendidas no mercado de frutas frescas por um valor mais alto. Já as nozes custaram cerca de 3 centavos de dólar a mais por cada meio quilo quando cultivadas com protetor, disse Ed Lagrutta enquanto inspecionava uma remessa do produto. Com colheitas que passam de 907 kg por cada 0.4 hectares, a prática compensa.

"Com o aumento no custo da produção, os fazendeiros buscam aumentar suas margens de lucro de qualquer forma possível", disse Lagrutta, mentor da Western Farm Services que cultiva 8 hectares e realiza testes em centenas de outras fazendas da região.

A mudança climática e a seca na Austrália e no Vale Central da Califórnia significam grandes desafios às condições de cultivo para os fazendeiros e afetam os preços dos produtos. O protetor solar alivia pelo menos uma das preocupações dos fazendeiros, que perdem dinheiro com cada fruta ou vegetal danificados pelo sol.

"Eu passei muito tempo estudando a seca", disse Eric Wood, Ph.D., professor de engenharia ambiental da Universidade de Princeton e especialista na mudança climática. "Sob a mudança climática, o calor pode se tornar um problema ainda maior para as plantas, especialmente quando passar a gerar novas doenças".

As plantas reagem ao sol como os humanos. Elas transpiram, o que significa que quanto mais a temperatura aumentar, mais água precisarão. Conforme a seca se agrava em regiões chave de todo o mundo, os cientistas buscam formas de conservar as plantas com menos H2O.

Leia mais sobre vegetais


A argila líquida foi usada durante muitos anos, mas agora uma companhia na Califórnia  descobriu efeitos surpreendentes no uso de um produto com protetor SPF 45 criado especialmente para refletir os raios infravermelhos e ultravioleta das plantas e árvores nas quais é aplicado. O produto mantém a luz ruim afastada, mas permite que os raios bons para a fotossíntese sejam absorvidos.

O protetor solar foi testado na Califórnia e Chile, onde os raios UV afetam a produção, e está em seu segundo ano de testes na Califórnia.

    Leia tudo sobre: plantasvegetais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG