Tamanho do texto

- atualiza o número de feridos - Santiago do Chile, 12 set (EFE).- Treze agentes das forças de segurança e quatro civis ficaram feridos nos distúrbios registrados na noite desta quinta-feira em bairros populares de Santiago do Chile durante os protestos pelo 35º aniversário do golpe de estado de Augusto Pinochet, informaram fontes policiais.

Um dos feridos, um jovem identificado como Germán Ávila que foi baleado na cabeça em Santiago, corre risco de morte e foi internado num hospital local com perda de massa encefálica.

O intendente (governador) da Região Metropolitana, Álvaro Erazo, confirmou que até o momento treze agentes ficaram feridos.

Além disso, afirmou que cerca de 60 pessoas foram detidas em Santiago.

Vários pontos da capital chilena ficaram sem energia elétrica e foram alvos de incêndios nos violentos incidentes protagonizados por jovens encapuzados e armados com paus, pedras, coquetéis molotov e armas de fogo.

Uma grávida de quatro meses, identificada como Teresa Sepulveda, recebeu vários tiros nas pernas e também teve de ser encaminhada a um hospital.

Em Lo Hermida, no norte da capital, ocorreram graves distúrbios quando cerca de 200 manifestantes armados com pistolas, revólveres e fuzis enfrentaram as forças da ordem.

Até o momento, 577 manifestantes foram detidos nas operações que acontecem há uma semana em Santiago. O último deles ameaçou esta noite vários jornalistas com uma arma branca.

O subsecretário do Interior, Felipe Harboe, se reuniu na noite de ontem em uma videoconferência com os 15 intendentes (governadores) regionais para coordenar as operações de segurança desdobradas em todo o país. EFE mf/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.