Protestos na Tailândia afetam trens e aviões

Por Chalathip Thirasoonthrakul e Ed Cropley BANGCOC (Reuters) - Protestos contra o governo fecharam o aeroporto de Phuket (sul) e prejudicaram o tráfego ferroviário da Tailândia na sexta-feira, ampliando a pressão pela renúncia do primeiro-ministro Samak Sundaravej, há sete meses no cargo.

Reuters |

Manifestantes ocupam desde terça-feira a sede do governo, em Bangcoc. Com a difusão dos protestos, alguns assessores aconselharam Samak a declarar estado de emergência, segundo duas fontes oficiais, que pediram anonimato.

De acordo com tais fontes, o premiê se reuniu com a cúpula militar e policial para discutir os protestos, liderados pela Aliança para a Democracia do Povo, que há três meses tenta derrubar o governo. Os temores de violência no país assustam os investidores.

O estado de emergência permitiria ao governo mobilizar militares para dispersar manifestantes, mas o comandante do Exército, Anupong Paochinda, disse que a situação não é para tanto.

Menos de dois anos depois do golpe contra o então premiê Thaksin Shinawatra, Anupong disse que outra ação militar não resolveria as profundas divisões da sociedade tailandesa.

'Um golpe não resolveria nada. Vai afetar a imagem do país e piorar sua situação', disse ele a jornalistas.

Samak não comentou as novas ações da Aliança para a Democracia do Povo, que interditou a estrada que dá acesso ao balneário de Phuket. A Thai Airways disse que vários vôos foram suspensos.

O aeroporto de Krabi, outro balneário no sul tailandês, também foi fechado.

Ferroviários iniciaram uma greve que suspendeu 15 por cento dos trens no país, segundo um porta-voz da categoria. Outros sindicatos ligados ao Estado planejam ações semelhantes.

Antes, tropas de choque haviam enfrentado manifestantes que, em barricadas dentro do complexo do governo, se recusavam a cumprir ordens judiciais de desocupação. A polícia chegou a deter 15 manifestantes e assumiu posições em torno da área controlada pela oposição, mas não retirou à força os quase 4.000 ocupantes.

'Estamos tentando lidar com os manifestantes da forma mais gentil possível', disse o porta-voz policial Surapol Thuanthong a jornalistas.

(Reportagem adicional de Nopporn Wong-Anan)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG