Protestos e iniciativas beneficentes marcam início de convenção

Do lado de fora, fortes protestos contra a guerra do Iraque e enfrentamentos entre ativistas e policias. Dentro, um evento beneficente protagonizado pela atual primeira-dama dos Estados Unidos, Laura Bush, e por aquela que espera se tornar a próxima, Cindy McCain.

BBC Brasil |

Assim foi o primeiro dia da Convenção Nacional Republicana, que teve início nesta segunda-feira na cidade de Saint Paul, no Estado de Minnesota.

Por conta do furacão Gustav , que atingiu o Golfo do México nesta segunda-feira, os republicanos decidiram mudar o tom de sua convenção, que assumiu um ar solene e contou com uma cerimônia curta, de pouco mais de duas horas.

AFP
AFP
Laura Bush e Cindy McCain pediram ajuda às vítimas do furacão


Enquanto seu marido visitava a região do Texas que está abrigando aqueles que tiveram de ser retirados das áreas afetadas pelo furacão, Laura Bush discursava na convenção: ''Nossa primeira prioridade é garantir a segurança e o bem estar dos moradores da região do Golfo.''
Há três anos, o presidente Bush enfrentou severas críticas pela forma como lidou com o Katrina, um furacão que atingiu a mesma região assolada pelo Gustav.

Laura Bush comentou que os governadores dos principais Estados atingidos pelo furacão, Texas, Mississippi, Alabama e Flórida ''são, por acaso, republicanos, mas cancelaram suas participações previstas para a convenção em Saint Paul''.

Cindy McCain aproveitou para lembrar os supostos ideais nobres de seu marido, o virutal candidato republicano John McCain. Segundo Cindy, ele ''tem dito nos últimos dias que é hora de tirarmos os nossos chapéus republicanos e colocarmos os nossos chapéus americanos''.

Ela pediu que americanos fizessem doações em um website criado pela campanha de McCain.

Protestos
Paralelamente à convenção, pelo menos 10 mil pessoas protestavam do lado de fora contra a guerra do Iraque.

Policiais usaram bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta contra alguns manifestantes. A reportagem da BBC Brasil viu pelo menos dez ativistas serem presos.

Alguns manifestantes mais radicais quebraram vidraças de lojas e de viaturas policiais durante a manifestação.

Outro incidente que por pouco não desviou as atenções da convenção foi o anúncio de que a filha adolescente da candidata a vice-presidente na chapa de McCain, Sarah Palin, está grávida.

O anúnico poderia, em tese, afetar a campanha do republicano, visto que Palin, da ala mais à direita do partido, é contra o sexo antes do casamento e radicalmente contra o aborto. Mas os representantes do partido pareceram encarar o fato como natural.

Indefinição
A indefinição em relação à programação do evento deve prevalecer por mais uma dia.

Até o final do primeiro dia da convenção, muitos delegados ainda não sabiam a programação do evento para a terça-feira.

Mas eles diziam que a agenda definitiva do encontro só deve ser definida quando se tiver um retrato detalhado dos estragos causados pelo Gustav.

Convenção Republicana

A Convenção de quatro dias irá formalizar McCain e a governador do Alaska, Sarah Palin, como candidatos republicanos a presidente e vice, para enfrentarem a chapa democrata formada por Barack Obama e Joe Biden em 4 de novembro.

Obama encerrou a Convenção Democrata, na quinta-feira passada, com um discurso perante 75 mil seguidores num estádio em Denver.

Os republicanos não quiseram especular sobre se e quando o resto da convenção vai acontecer. McCain disse à NBC News que poderia fazer seu discurso de aceitação da candidatura na quinta-feira, via satélite, da costa sul dos EUA.

Bush e seu vice, Dick Cheney, haviam cancelado a participação na convenção mesmo antes que a redução da agenda fosse anunciada. A Casa Branca disse que Bush vai se dirigir à convenção nos próximos dias.

Nesta segunda-feira haverá a inauguração oficial da convenção e alguns trâmites regimentais, segundo Rick Davis, gerente da campanha de McCain, acrescentando que haverá também algum tempo destinado a informar delegados e espectadores sobre como auxiliar nos trabalhos de ajuda às vítimas do furacão.

A campanha de McCain fretou um avião para levar delegados de Estados da costa sul de volta a seus Estados, o que lhes permitiria participar dos preparativos contra a tempestade.

Alguns republicanos esperam que McCain se beneficie com uma resposta forte e compassiva ao Gustav. A ausência de Bush e Cheney, que são amplamente impopulares entre o público, embora não sejam entre a base republicana, também é um fator que pode beneficiar McCain na corrida presidencial.

Ambos os partidos tentam abordar a questão do Gustav sem parecer que tentam levar vantagem política. Nas pesquisas, Obama e McCain aparecem numa acirrada disputa. Levantamento CNN/Opinion Research Corp, divulgado no domingo, mostra Obama à frente por apenas 1 ponto (49-48), o que configura empate técnico. A pesquisa reflete a cobertura da convenção democrata e a indicação de Palin como vice de McCain.

Obama disse que não vai visitar os locais por onde a tempestade passar por enquanto, para não sobrecarregar os serviços de emergência da região. Mas ele prometeu ajudar para que os 2 milhões de apoiadores que estão em sua lista de email se envolvam nos esforços de ajuda à região.

(*Com informações das agências, Reuters, AFP e EFE)

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG