Protestos do 1º de Maio terminam em conflito na Alemanha

As manifestações pelo Dia do Trabalho na Alemanha provocaram nesta sexta-feira confrontos entre a polícia, militantes de extrema esquerda e jovens neofacistas, principalmente em Berlim, onde a violência deixou vários feridos, informaram as autoridades.

AFP |

Além de Berlim, os protestos degeneraram em pancadaria em Dortmund (oeste), Ulm (sudoeste) e Mayence (oeste), onde o 1º de Maio foi marcado por passeatas antifascistas e atos neonazistas.

No total, centenas de militantes foram detidos em toda a Alemanha, onde quase 500 mil pessoas saíram às ruas para expressar sua indignação em um país que prevê sua pior recessão desde o pós-guerra.

O confronto mais severo ocorreu em Berlim, onde militantes de extrema esquerda, alguns vestidos de negro e com o rosto coberto, atacaram a polícia com garrafas e pedras, aos gritos de "policiais sujos".

Os atos de violência hoje foram "particularmente intensos", disse à AFP um porta-voz da polícia de Berlim, informando que há vários feridos.

Em Ulm, a polícia teve dificuldades para conter cerca de mil ativistas do partido neonazista NPD e milhares de contramanifestantes, que se enfrentaram com pedras e coquetéis molotov, em meio a carros incendiados.

Em Dortmund, cerca de 200 militantes neonazistas atacaram uma passeata convocada por sindicatos, e a polícia deteve cerca de 150 pessoas.

laf/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG