Protestos deixam 30 mortos e 100 feridos em Madagascar

Johanesburgo, 8 fev (EFE).- Cerca de 30 pessoas morreram em Antananarivo e 100 ficaram feridas depois que soldados da guarda presidencial atiraram no sábado contra manifestantes que se dirigiam ao Palácio da Presidência, informou hoje a imprensa local.

EFE |

Segundo o jornal local "La Gazette", os soldados da guarda presidencial "dispararam a sangue frio sobre a multidão de manifestantes desarmados".

O fato, que os jornais de Madagascar qualificaram de "massacre", ocorreu pouco após uma manifestação convocada pelo ex-prefeito de Antananarivo Andry Rajoelina, em protesto contra o presidente do país, Marc Ravalomanana.

Rajoelina acusa Ravalomanana de desvio de fundos públicos e de violar a Constituição, e liderou várias manifestações desde 26 de janeiro, nas quais se proclamou "a cargo dos assuntos do país".

Como consequência destas ações, o Governo de Ravalomanana destituiu na quarta-feira passada Rajoelina do cargo de prefeito, mas este a rejeitou e convocou novas manifestações na capital a favor do Executivo de transição que propunha. EFE hc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG