Protestos de professores no Chile deixam 6 feridos e 47 detidos

(atualiza número de detidos no terceiro parágrafo) Santiago do Chile, 2 abr (EFE).- Pelo menos seis carabineiros (agentes militarizados) ficaram feridos durante os protestos organizados pelo Colégio de Professores do Chile contra a Lei Geral de Educação (LGE), aprovada na quarta-feira no Congresso chileno.

EFE |

Alguns dos feridos precisaram ser levados ao hospital dos carabineiros. Os confrontos ocorreram quando a Polícia usou jatos de água para dispersar os manifestantes, que começaram a lançar projéteis.

Oficialmente, 44 pessoas foram detidas, além de três líderes da categoria que foram presos pelos carabineiros (policiais militares) quando o grupo se dirigia ao Ministério da Educação para entregar um documento.

Ele qualificou a greve de "bem-sucedida", e ressaltou que a provocação de alguns grupos no centro da capital chilena onde mais de três mil professores e alunos se reuniram não atrapalhou as atividades previstas pelo sindicato. EFE mc/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG