Protestos de muçulmanos chineses deixam mortos e feridos

Pequim, 6 jul (EFE).- As autoridades chinesas informaram que os protestos étnicos por parte da minoria Uigur muçulmana no oeste da China finalizou com um número indeterminado de civis e um militar mortos, segundo a agência oficial de notícias Xinhua.

EFE |

Os protestos começaram na tarde deste domingo em Urumqi, capital da região autônoma uigur de Xinjiang, quando 300 uigures iniciaram uma manifestação pacífica na Praça do Povo pela morte de dois membros de sua etnia em uma fábrica de brinquedos de Cantão, que tinham sido acusados pelo resto de estuprar uma jovem.

Os protestos duraram umas duas horas, protagonizadas segundo parece pela minoria uigur, e foram reprimidas pelas forças armadas.

Quando a Polícia acudiu a dispersar os manifestantes, eles se opuseram e começaram os atos violentos, com veículos queimados, segundo se pode comprovar em imagens gravadas por civis, algumas delas censuradas já na internet na China.

As autoridades de Xinjiang informaram de "um número de civis mortos", depois que os primeiros relatórios indicaram que pelo menos três civis da etnia majoritária morreram nos protestos e outras 20 pessoas tinham ficadas feridas. EFE mz/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG