Protestos contra presidente reúnem milhares no Iêmen

Quatro manifestações convocadas pela oposição exigem que Ali Abdullah Saleh, no poder desde 1990, desista da reeleição

iG São Paulo |

Milhares de manifestantes se reuniram nesta quinta-feira em quatro pontos da capital do Iêmen, Sanaa, para exigir que o presidente Ali Abdullah Saleh, no poder desde 1990, desista de uma nova reeleição. Os manifestantes também pedem reforma econômicas e o combate à corrupção.

Reuters
Manifestantes protestam contra o presidente Ali Abdullah Saleh em Sanaa, capital do Iêmen

Os quatro protestos foram convocados pelos principais partidos de oposição do país, como o Partido da Reforma Islâmica, o Partido Socialista e o Partido Baath.

Em uma das manifestações, realizada em local próximo à Universidade do Iêmen, no centro de Sanaa, cerca de dez mil pessoas gritavam e seguravam cartazes dizendo "não à reeleição".

Embora menores que os protestos desta quinta-feira, outras manifestações menores já vinham acontecendo desde o fim de semana no Iêmen. No sábado, a Universidade de Sanaa foi palco de duas marchas que contaram com centenas de participantes.

As autoridades do Iêmen prenderam acusaram a ativista de direitos humanos Tawakul Karman de ter dado início aos protestos. Ela foi detida no domingo, o que provocou mais protestos.

Após sua libertação, na segunda-feira, Tawakul disse à emissora americana CNN que uma revolução aconteceria no país, inspirada na revolta popular que acontece na Tunísia.

As manifestações na Tunísia, que derrubaram o presidente Zine El Abidine Ben Ali após 23 anos no poder, deram início a uma onda de protestos em outros países da região, como o Egito e a Argélia.

Com EFE e BBC

    Leia tudo sobre: iêmenprotestostunísiaegitomanifestações

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG