Porto Príncipe, 7 abr (EFE).- Uma pessoa morreu hoje na cidade de Cayes, no sul do Haiti, e seis ficaram feridas nessa e em outras localidades do país em mais um dia de protestos contra os altos custos de vida.

Segundo fontes policiais, durante as manifestações em Vernet, na periferia de Cayes, um homem foi atingido por um tiro, não resistindo ao ferimento.

Até o momento, as circunstâncias do incidente e o nome da vítima não foram revelados pelas autoridades.

Ainda em Vernet, François Mermont, de 26 anos, e Lorcy Tisson, de 27, ambos operários da construção civil, também foram atingidos por disparos no mesmo protesto.

Segundo relatos dos habitantes de Cayes, os tiros que mataram um dos manifestantes e feriram outros dois vieram da casa do senador da oposição Gabriel Fortune.

A tensa situação nos arredores da casa do legislador obrigou sua mulher e filho buscar abrigo na delegacia de Polícia local, disseram as autoridades.

Já em Jeremie, no sudoeste do país, mais três pessoas foram atingidas por disparos e cinco foram detidas enquanto centenas de manifestantes protestavam contra o Governo.

Em Porto Príncipe, um estudante foi ferido a bala quando a Polícia invadiu o prédio de uma universidade pública para retirar barricadas montadas com pneus incendiados.

Também na capital, grupos de manifestantes de vários bairros populares, principalmente de Bel Air (centro) e Maritissant (periferia), se reuniram em frente à sede do Governo para reclamar da política do Governo.

"Queremos medidas imediatas do Governo que atendam a nossas reivindicações contra o alto custo de vida", declarou um dos manifestantes.

Em Damien, periferia norte da capital, estudantes atacaram o veículo do ministro da Agricultura, François Severin, que não se machucou.

Por causa das manifestações, o comércio e os transportes não funcionaram em várias regiões da cidade. Muitas escolas também suspenderam suas aulas. EFE gp/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.