Protestos continuam na Coréia do Sul, apesar do acordo comercial com os EUA

Seul, 22 jun (EFE).- Os protestos continuam na Coréia do Sul apesar do acordo adicional alcançado com os Estados Unidos que limita a exportação de carne bovina americana ao país asiático, segundo informa hoje a agência sul-coreana Yonhap.

EFE |

Nesse acordo, anunciado ontem pela Coréia do Sul e EUA, ficou decidido que só a carne de reses menores de 30 meses será exportada ao país asiático.

Além disso, os EUA aceitaram que não exportariam carne de menos de 30 meses com medula espinhal ou restos de cabeça, que junto com animais mais velhos são suscetíveis de apresentar o "mal da vaca louca".

Ambos os países decidiram estabelecer um mecanismo que verifique a idade do animal cuja carne vai ser exportada, ao término de intensas negociações realizadas esta semana em Washington, com o objetivo de acabar com a onda de protestos dos cidadãos em Seul, desde o começo de maio.

Mas uma coalizão composta por várias organizações civis sul-coreanas disse que esta solução era uma "decepção", por isso que asseguraram que continuarão com suas manifestações de protesto até que o Governo renegocie o acordo comercial. EFE ce-cej/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG