Protesto por Alcorão mata funcionários da ONU no Afeganistão

Manifestantes saem às ruas contra queima de exemplar do livro sagrado na Flórida; 7 membros da ONU e 5 afegãos morreram

iG São Paulo |

Pelo menos sete funcionários da ONU e cinco manifestantes afegãos foram mortos nesta sexta-feira na cidade de Mazar-e-Sharif (norte do Afeganistão), durante violentos protestos contra a queima de um Alcorão nos EUA, informaram fontes policiais.

AP
Afegãos carregam ferido depois de ataque em escritório da ONU em Mazar-i-Sharif, ao norte de Cabul
Após a oração desta sexta-feira, milhares saíram às ruas da cidade, a mais importante do norte afegão, em protesto contra a queima de um Alcorão em uma igreja da Flórida (EUA) em 20 de março e apedrejaram a sede local da missão da ONU no país (Unama).

Segundo um porta-voz regional na cidade, Lal Mohamad Ahmadzai, o protesto começou pacífico, mas em seguida vários manifestantes efetuaram disparos que mataram sete funcionários da ONU e deixaram dezenas de civis feridos. Há informações não confirmadas de que dois dos mortos teriam sido decapitados. 

Segundo uma fonte citada pela agência afegã "AIP", os manifestantes conseguiram render os guardas do edifício, tiraram suas armas e depois atearam fogo à sede da organização internacional.

Segundo o jornal americano The New York Times, entre os mortos estão sete funcionários da ONU - sendo quatro guardas nepaleses e outros três da Romênia, Suécia e Noruega - de acordo com oficiais da ONU em Nova York. Outros cinco afegãos morreram.

De acordo com Ahmadzai, as forças de segurança afegãs retomaram o controle da área e abriram uma investigação sobre o incidente após deter vários manifestantes.

Em 20 de março, o pastor protestante Wayne Sapp queimou um exemplar do Alcorão em uma igreja da Flórida (EUA) na presença do pastor Terry Jones , que anunciou no ano passado que faria o mesmo por ocasião do aniversário dos atentados de 11 de Setembro, embora depois tenha voltado atrás .

Combates

Ao menos 20 insurgentes e seis soldados da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) no Afeganistão morreram em vários combates na Província de Kunar, no leste afegão, perto do Paquistão, informou nesta sexta-feira uma fonte militar.

Os seis soldados da Isaf morreram em dois dias de combates contra insurgentes paquistaneses e afegãos, disse o porta-voz militar. A operação tinha como objetivo fazer os insurgentes retrocederem nessa região fronteiriça, palco habitual de ações dos Taleban.

Segundo o porta-voz militar, mais de 20 insurgentes morreram nos últimos combates. Neste ano, 106 soldados das tropas internacionais mobilizadas no Afeganistão morreram, de acordo com dados do site independente "icasualties.org". O porta-voz taleban Zabiullah Mujahid assegurou que outros quatro soldados morreram pela explosão de uma bomba no distrito de Ghaziabad, na mesma província.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: afeganistãoprotestoalcorãoterry jonesflórida

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG