Protesto pela morte de Zapata reúne 2 mil pessoas em Miami

Miami, 28 fev (EFE).- Cerca de 2 mil exilados protestaram hoje em Miami, nos Estados Unidos, contra o Governo de Cuba a quem responsabilizaram pela morte do prisioneiro político Orlando Zapata, que morreu na ilha caribenha após uma greve de fome de 85 dias.

EFE |

Aos gritos de "Abaixo o tirano", "Liberdade" e "Viva Cuba" os exilados com fitas pretas em sinal de luto presas ao braço se manifestaram junto de colombianos, equatorianos, hondurenhos, mexicanos e venezuelanos em um reduto cubano da cidade.

Roldofo San Roman, um dos líderes do protesto acusou pela morte de Zapata "à tirania castro-comunista, o Ministério do Interior e os encarregados de saúde quem considerou cúmplices, junto dos Governos que cooperam com o regime".

Zapata fez jejum exigindo o cumprimento das regras mínimas de tratamento aos presos aprovadas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

"O povo se reuniu para prestar homenagem ao mártir, a um homem que consciente de seus atos, que usou a estratégia da não violência e sofreu uma morte espantosa, cruel e cheia de ódio", disse Roman.

EFE ef/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG