Protesto na Cisjordânia lembra 7 mil presos palestinos em Israel

Milhares de palestinos se manifestaram hoje em Ramala, na Cisjordânia, por ocasião do Dia do Prisioneiro e para lembrar os mais de 7 mil palestinos que continuam presos em centros de detenção israelenses.

EFE |

Homens, mulheres e crianças participaram hoje, ao meio-dia local, na praça de Al Manara, no centro da cidade, do protesto convocado pela Organização para a Libertação da Palestina (OLP), para pedir a liberdade dos prisioneiros.

As ruas se encheram de bandeiras das diferentes facções políticas palestinas e de cartazes com as fotos de centenas de presos.

"Mais de 7 mil pessoas vieram hoje aqui de todas as partes, de Nablus, de Tulkaren, de Jenin, para expressar gratidão e apoio aos presos, que são a coluna vertebral do movimento de resistência palestino", disse à Agência Efe Abdula Farif, presidente do Clube de Prisioneiros, organização que supervisiona a situação dos presos.

Segundo números divulgados ontem pelo Escritório Central Palestino de Estatísticas, mais de 7 mil palestinos estão presos em centros de detenção israelenses, entre eles 34 mulheres, 270 menores e 780 condenados à pena de prisão perpétua.

Desde o início da ocupação israelense de territórios palestinos, após a Guerra dos Seis Dias, em 1967, mais de 760 mil palestinos foram presos em algum momento, segundo dados do Ministério de Assuntos dos Prisioneiros. 

Leia mais sobre: Cisjordânia

    Leia tudo sobre: cisjordânia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG