Protesto em Seul contra importação de carne dos EUA termina com 20 detidos

Tóquio - A manifestação em massa que reuniu nesta terça-feira dezenas de milhares de pessoas em Seul contra a importação de carne bovina americana terminou com a detenção de 20 pessoas, informaram nesta quarta-feira a imprensa local.

EFE |

Os detidos, que faziam parte do grupo de manifestantes que permaneceu nas ruas até o início da manhã, não opuseram resistência às autoridades.

Segundo a televisão pública "KBS", a Polícia tentou dispersar os manifestantes, e após não conseguir retirá-los das ruas, começou a deter as pessoas que seguiam impedindo o tráfego.

De acordo com a organização, 700 mil pessoas participaram da manifestação, embora segundo a Polícia os reunidos fosse 100 mil.

A maioria dos manifestantes deixou o centro da cidade antes das 8h no horário local (21h de Brasília), mas cerca de 400 pessoas permaneceram no local dos protestos.

A manifestação de ontem à noite foi a mais movimentada das organizadas desde 2 de maio contra a importação de carne bovina americana, por temor de que pudesse estar contaminada com o mal da vaca louca.

Trata-se dos maiores protestos do país nos últimos 21 anos, desde que teve fim a ditadura militar sul-coreana.

O protesto de ontem coincidiu com a renúncia em bloco do Governo sul-coreano, liderado pelo primeiro-ministro Han Seung-soo, por causa da crise política causada pelo temor da população quanto à abertura do mercado do país para a carne bovina dos EUA.

Leia mais sobre: Coréia do Sul

    Leia tudo sobre: coréia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG