Protesto em delegacia gera novos confrontos na Grécia

ATENAS - Uma concentração pacífica em frente à delegacia central em Atenas acabou hoje em choques isolados com os policiais, quando se completam dez dias dos protestos em massa registrados na Grécia pela morte de um adolescente por um agente da polícia.

Redação com agências internacionais |

Os confrontos desta segunda-feira aconteceram durante um protesto em frente à Direção de Polícia, que reuniu três mil estudantes de ensino médio de diferentes bairros da capital, que bloquearam várias avenidas principais da cidade.

A polícia tentou deter alguns manifestantes, que jogaram ovos e pedras contra os agentes. Com isso, 15 ônibus blindados e centenas de agentes antidistúrbios, armados de bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha se posicionaram nas proximidades do quartel-general da polícia.


Manifestantes protestam contra a polícia / AP

Os jovens gritavam frases contra os agentes, como "policiais porcos assassinos", e carregavam um cartaz que dizia "estes dias são de Alexis", em alusão a Alexandros Grigoropoulos, o jovem de 15 anos que foi morto pelo tiro de um policial. "Estamos aqui porque estamos muito consternados. Se ficarmos em casa, nada vai mudar", afirmou Anastasia, uma estudante de 17 anos.

Outros grupos de estudantes de ensino médio fecharam ao meio-dia (hora local) de hoje as principais ruas de seus bairros e protestaram diante das delegacias de cada distrito.

Em uma manifestação estudantil no bairro de Koridalos houve incidentes isolados quando alguns dos participantes atiraram pedras contra a polícia e foram dispersados pelos agentes com gás lacrimogêneo.

No resto do país, também foram organizados protestos diante das delegacias.

Investigação


Grécia é palco de confrontos há 2 semanas / AP

O relatório de balística que poderia esclarecer se o agente atirou intencionalmente contra o jovem ou se a bala ricocheteou e atingiu Alexis após um disparo para o ar, como alega o agente, ainda não foi divulgado.

Segundo a Federação de Professores (Olme), mais de 600 colégios de ensino médio permanecem ocupados há uma semana. Várias faculdades gregas também estão ocupadas por estudantes e grupos de radicais que se aproveitam do asilo universitário.

Semana de protestos

Para quarta e quinta-feira, a federação de professores e alunos convocou manifestações no centro de Atenas, que foram apoiadas pelo Partido Comunista grego.

Na sexta-feira, a Confederação Geral de Trabalhadores (GSEE) anunciou uma manifestação no Parlamento em protesto contra os orçamentos estaduais de 2009, os impostos e os cortes nas áreas de saúde e educação por parte do Executivo conservador.

A morte de Alexis provocou os mais graves distúrbios na Grécia em décadas, com violentos confrontos entre grupos anarquistas e as forças da ordem, além de uma onda de protestos contra as políticas do Executivo conservador.

Leia mais sobre Grécia

    Leia tudo sobre: grécia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG