BANGCOC - Milhares de turistas ficaram assustados e ilhados pelas manifestações contra o governo da Tailândia em um os aeroportos mais movimentados da Ásia.


"Há muita gente com paus e tacos de beisebol. Pareciam prontos para uma briga. Não sabemos o que está acontecendo", disse o belga Ben Creemers enquanto membros da Aliança Popular pela Democracia (APD) destruíam o recém-inaugurado terminal de 4 bilhões de dólares.

As autoridades simplesmente sumiram durante o protesto. "Os vôos estão cancelados, é só o que sabemos. Os passageiros não sabem o que está acontecendo. Somos a companhia aérea e nem nós sabemos o que está acontecendo", disse um comissário no balcão da Thai Airways.

Foram suspensas todas as partidas do aeroporto, por onde passam 14 milhões de turistas estrangeiros por ano. A ocupação é mais um capítulo nos seis meses de campanha da APD para depor o governo eleito do país.

"Não sei o que está acontecendo", disse o turista australiano Steve, empurrando um carrinho cheio de malas em direção à saída do futurista aeroporto Suvarnabhumi ("Terra Dourada"), inaugurado em 2006, dias depois do último golpe militar no país.

Houve cenas caóticas quando os alto-falantes do aeroporto gritavam alertas quase inaudíveis para que as pessoas fossem embora "por razões de segurança", enquanto milhares de passageiros continuavam entrando.

As telas continuaram mostrando as informações normais dos vôos, como se os manifestantes armados com paus, tacos e até com uma espada de samurai não estivessem ali.

"É tudo muito excitante", disse o também australiano Carl, que parecia encarar tudo com tranquilidade. "É uma espécie de protesto. Queremos ir para casa, mas não temos idéia do que devemos fazer."

Leia mais sobre Tailândia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.