Protesto da oposição termina com 87 mortos pelas mãos da polícia em Conacri

Dacar, 29 set (EFE).- O número de mortos pela repressão policial da manifestação convocada ontem em Conacri pela oposição guineana ascendeu a 87, informaram hoje as emissoras regionais, que destacam que o número de vítimas mortais poderiam ser ainda maior.

EFE |

Segundo fontes policiais, os 87 cadáveres foram recolhidos no estádio "28 de setembro", onde ontem acontecia o protesto até que as forças de segurança começaram a lançar bombas lacrimogêneas e a disparar contra os manifestantes.

Centenas de pessoas também ficaram feridas, entre os que se encontram dois ex-ministros e líderes da oposição, Cellou ++Dalein++ Diallo e Sidya Touré, cujas casas foram saqueadas pelos militares.

Ambos opositores foram levados ao campo militar Alpha Yaya Diallo, sede da junta militar que governa Guiné após o golpe de estado do passado 23 de dezembro, e posteriormente foram transferidos a uma clínica, onde receberam tratamento médico.

Touré denunciou hoje a brutalidade da intervenção policial, especialmente da Guarda Presidencial, à qual acusou de começar a dispersar o protesto com uma "clara vontade de eliminar fisicamente aos manifestantes".

Em entrevista à rádio privada senegalesa RFM divulgada hoje, o líder da junta militar, o capitão Moussa Dadis Camara insistiu em que tinha conseguido, até agora, manter o poder sem derramamento de sangue.

Camara culpou aos líderes opositores, principalmente ao ex-primeiro-ministro Sidya Touré, por haver ignorado ao Ministério do Interior, que proibiu a manifestação. "Eu não elegi isto", afirmou Camara.

Várias organizações de defesa dos direitos Humanos condenaram as ações violentas da Polícia da Guiné e exigido uma reação urgente da comunidade internacional.

Segundo denunciou em agosto Human Rights Watch, o regime de Camara se caracterizou por "detenções arbitrárias, restrições às atividades políticas e atos criminosos por parte dos militares". EFE st/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG