Protesto contra golpe militar é reprimido na Mauritânia

Nuakchott, 15 out (EFE).- A Polícia mauritana dispersou hoje com gás lacrimogêneo uma manifestação organizada pela Frente Nacional para a Defesa da Democracia (FNDD), contrária ao golpe de Estado que, em 6 de agosto, depôs o ex-presidente Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdallahi.

EFE |

O protesto, não autorizado pelas autoridades mauritanas, é o terceiro do tipo a ser reprimido pelas forças de segurança, equipadas com cassetetes e gás lacrimogêneo.

A coalizão FNDD, composta por cinco partidos políticos, antigos aliados do ex-presidente, reiterou com essa manifestação sua exigência para que se restabeleça no poder Abdallahi, assim como sua rejeição ao poder militar estabelecido no país após o golpe.

A manifestação, ainda que pequena, partiu de um bairro popular periférico, com a intenção de fugir da vigilância policial, que em princípio tinha ficado no centro da cidade, onde teoricamente iniciaria o protesto.

Os comércios fecharam suas portas durante os distúrbios entre policiais e manifestantes, entre os quais ainda não se confirmou a existência de mortos ou feridos. EFE mo/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG