Mais de 3.000 manifestantes que se opõem à ampliação de uma base americana em Vicenza (nordeste) enfrentaram a polícia com pedras e garrafas neste sábado.

Cerca de 300 jovens, usando capacetes e escudos de provistos de cascos y escudos de acrílico, que estavam na primeira fila da marcha de protesto, jogaram pedras e garrafas contra os policiais, que responderam com bombas de gás lacrimogêneo.

Os policiais tentavam impedir que os manifestantes se aproximassem das obras de ampliação da base.

A violência começou pouco depois do início da manifestação, organizada pelo comitê "Não a Molin" (nome do antigo aeroporto onde estão sendo feitas as obras).

Participaram do protesto pacifistas, ativistas antiglobalização e militantes da esquerda radical.

"Não queremos armas em nossa região", gritavam os manifestantes. "Não queremos ser retaguarda para que matem crianças no Afeganistão".

"Somos cidadãos, e não súditos de Roma ou Washington", afirma o comitê no texto divulgado um dia antes do protesto, organizado no dia 4 de julho para coincidir com a comemoração do dia da Independência dos Estados Unidos.

pho-fmi/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.