Miami, 29 abr (EFE) - Ashley Alexandra Dupré, a prostituta que derrubou o ex-governador de Nova York Eliot Spitzer, entrou com um processo no valor de US$ 10 milhões contra o produtor do programa Girls Gone Wild, informou hoje o jornal The Miami Herald. Também conhecida como Kristen, a jovem, de 22 anos e cujo nome verdadeiro é Ashley Youmans, deu entrada na segunda-feira em um tribunal de Miami em um processo contra Joseph R. Francis, criador do Girls Gone Wild.

Segundo a ação judicial, a jovem ainda não tinha completado 18 anos quando foi convidada pela produtora de Francis em Miami Beach a tirar a parte de cima da roupa e mostrar seus seios, segundo o periódico.

Aparentemente, a equipe de produção de Francis teria embebedado Ashley até conseguir filmá-la em um hotel da praia.

O criador do programa para adultos editou em março passado a fita na qual aparece a jovem, que, segundo um documento federal, se encontrou com Spitzer em 14 de fevereiro em um hotel de Washington.

Ashley e seu advogado alegam que Francis enriqueceu com publicidade falsa e com o uso de seu nome e imagem sem autorização.

A ação legal indica que Francis publicou os novos vídeos com falsas premissas, como o que indica que Ashley aparece fazendo "muitos atos de lesbianismo" e "atos sexuais", os quais, segundo o processo, são falsos.

Em março, o próprio Francis ofereceu US$ 1 milhão a Ashley em troca de que aparecesse perante as câmeras, mas retirou a oferta quando soube que já tinha suas imagens nos arquivos de "Girls Gone Wild".

O programa traz imagens de festas protagonizadas por meninas que aparecem mostrando perante as câmeras partes de seu corpo e em cenas provocativas. EFE emi/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.