Proposta de McCain para imigração é pouco precisa, dizem analistas

Washington, 14 jul (EFE).- A imigração protagoniza as campanhas presidenciais dos Estados Unidos, onde, de acordo com um grupo de analistas, o discurso do candidato republicano, John McCain, é menos preciso que o do aspirante democrata, Barack Obama.

EFE |

Representantes de organizações de defesa dos direitos dos imigrantes e da comunidade hispana analisaram em entrevista coletiva por telefone como ambos aspirantes à Casa Branca lidam com o tema migratório para atrair o voto latino.

O diretor de defesa da Associação de Imigração Americana de Advogados (Aila, em inglês), Marshall Fitz, elogiou os "papéis importantes" que tanto Obama quanto McCain tiveram no passado em iniciativas para promover uma reforma imigratória no país.

Ele lembrou o projeto de lei sobre esta matéria que, em 2006, o aspirante republicano liderou junto com o senador democrata Edward Kennedy para impulsionar, entre outros temas, a legalização temporária de imigrantes ilegais clandestinos.

Apesar de ter o apoio da Casa Branca, a reforma acabou sendo rejeitada em abril de 2007 por falta de consenso entre o grupo republicano.

Além disso, o dirigente da Aila ressaltou a mudança de postura de McCain durante as primárias, que, em uma tentativa de satisfazer à ala mais conservadora do partido, delegou a reforma a um segundo plano para respaldar a necessidade de fortalecer primeiro as fronteiras do país.

Neste sentido, a vice-presidente do escritório de defesa e legislação do Conselho Nacional da Raça (NCLR, em inglês), Cecilia Muñoz, destacou que "as pessoas querem saber se seu compromisso -o de McCain- com a reforma imigratória é o mesmo pelo qual advoga Obama".

"Está assumindo um grande risco político neste assunto, por isso os latinos se perguntam qual é sua posição precisa com os temas que afetam os imigrantes dos Estados Unidos", afirmou.

A campanha de McCain lançou na sexta-feira passada um spot, com legenda em espanhol, que ressalta ao longo de 60 emocionantes segundos a contribuição dos hispânicos às Forças Armadas dos Estados Unidos.

O texto do comercial foi extraído de um discurso que o senador do Arizona pronunciou em New Hampshire em junho. EFE ag/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG