Proposta de economia em enterros de veteranos da Croácia causa polêmica

Zagreb, 25 nov (EFE).- A proposta do presidente da Croácia, Stjepan Mesic, de eliminar as honras militares nos enterros de veteranos de guerra, como uma medida de economia ante a crise econômica, criou um forte polêmica e críticas nos círculos patrióticos.

EFE |

Em declarações à "Rádio Croácia", o social-democrata Mesic propôs ontem várias medidas de economia que poderiam ajudar a enfrentar a crise.

Com relação aos funerais de veteranos de guerra, o presidente afirmou que a cada dia são realizados cinco enterros "nos quais são concedidas as honras militares como se tratasse de um soldado morto em combate".

Mesic, que também é o chefe das Forças Armadas do país, alegou que isto implica a participação de "13.000 soldados por ano nestes enterros, com todos os custos de viagem, munição, coroas de flores entre outros gastos".

Propôs que a complicada cerimônia militar seja substituída por uma "correspondente oferenda floral", sobretudo considerando que o país tem recenseados 500.000 veteranos de guerra.

A proposta de Mesic foi qualificada hoje de "repugnante e vergonhosa" por Josip Djakic, presidente de uma das maiores organizações de veteranos.

Outra organização propôs que em 2009 seja convocado um congresso de veteranos para analisar as "tentativas constantes de empurrar os veteranos de guerra para a marginalização social". EFE vb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG